Experiências fotográficas em filme e outras analogias...

Câmera tem que ter cara de usada, com experiência

Câmeras fotográficas são como tênis: não tem graça ficar cuidando para que fiquem sempre limpos e novos. Eles precisam sair em aventuras e se sujar também.

Todo mundo deve lembrar da época de moleque, quando alguém aparecia com um tênis novo era uma loucura de gente tentando pisar no pé do coitado, pra estrear, batizar o calçado, principalmente se fosse branco. Sim, parecia uma baita sacanagem, eu mesmo detestava quando faziam isso.

Mas quem passa a maior parte do tempo evitando que o seu tênis se suje acaba evitando também passar pelas experiências, viver, andar, correr, etc. Lutar para que seu tênis continue limpo acaba te impedindo de viver. Como na propaganda do Omo, se sujar faz bem.

Câmera deve ter cara de usada, que tem experiência - leica m3 (1)

E depois de crescido percebi que um tênis (ou sapato, ou câmera) com cara de novo, que acabou de sair da caixa mostrava o quanto aquilo ainda não havia sido usado, não tinha ainda história, nem passado por alguma grande aventura. E olhar, tempos depois, para seu tênis velho e sujo, desgastado pelo uso, trazia de volta a mente as aventuras pelas quais passou, onde pisou, até onde você foi com ele.

Por conta disso desisti de brigar para manter as câmeras com cara de novas. Isso significa abraçar suas imperfeições e desgastes estéticos em favor de uma cara de usada, experiente, de quem passou por bons e maus momentos, com marcas de uso e abuso até.

Uma das minhas câmeras prediletas é essa Lomo LC-A fabricada em 1985, com as marcas de uso normais de câmeras que passaram por muitas mãos antes de chegar até aqui. Ela está horrível, mas o que importa é a cara dela ou o resultado que ela pode proporcionar?

Fotos dela

lomo lca [topo]

lomo lca [detalhe]

lomo lca [ladinho]

Fotos com ela

a curiosidade ...

tralha

ProimageNoSol: Good

participação LOMOinLOMO

Uma outra câmera que tenho um grande carinho é a Arrow Jr., uma box 120 toda enferrujadinha e barulhenta, mais velha do que eu e que está na família desde que me conheço por gente. Mas as fotos que ela faz, com os riscos e sujeiras no negativão 120, proporcionam mais momentos para se lembrar e são mais importantes do que uma plástica na cara.

Vantagens colaterais

  • Nem preciso mencionar que câmeras surradas com cara de velhas não chamam a atenção de ladrões, né?
  • Ninguém vai se importar tanto com você na rua fotografando com uma velha câmera toda marcada quanto se importaria se sua câmera brilhasse como nova.
  • Economizar em uma reforma estética sobra dinheiro pra arrumar a mecânica da câmera, comprar lentes ou gastar com filmes.
  • E experimentar a liberdade de usar a câmera sem se preocupar se vai sujar, estragar, ficar feia, etc, é ótimo. Veja os caras que fotografam nesses eventos de multidões jogando pós coloridos uns nos outros, ou então na chuva?

Mas lembre-se, é apenas a minha opinião: saia mais, suje mais seu tênis, desgaste sua câmera fotografando e não desperdice tempo lustrando as coisas. Se sujar um pouco faz bem.

Leia mais:

Artigo anteriorNo #instagram, test drive da Yashica Mat Próximo artigoLivro Tudo Sobre Fotografia, de Michael Busselle

Assinar Blog por Email

Digite seu endereço de email para assinar este blog e receber a newsletter com notificações de novas publicações por email.

1 comentário

  1. Rogério Di Nicoló diz:

    Belo texto Julio, essa sua LC-A tá com cara de guerreira mesmo

O que você acha?

Nome obrigatório

Website