Experiências fotográficas em filme e outras analogias...

O filme 120 é o padrão do médio formato. É um filme enrolado em uma bobina plástica e protegido da luz apenas por um papel que é enrolado junto com ele. Diferente do formato 135 (o famoso 35mm) que fica protegido dentro de uma bobina de metal e é perfurado para ser puxado pelos mecanismos de avanço da câmera, o filme 120 é sem perfuração e o que puxa o filme dentro da máquina é esse papel que o protege, que serve de marcação para a númeração de foto também.

O tamanho também é diferente, bem maior que o 135. Pra ter uma ideia, um filme 135 tem, hum, 35mm de largura, enquanto um 120 tem 6cm de largura!

O filme 120 foi introduzido pela Kodak em 1901, desenvolvido para ser usado na sua câmera popular Brownie 2. Era um avanço em portabilidada, já que o padrão era o que hoje chamamos de grande formato com chapas 4×5 pol, 8×10 pol, etc.

Seus formatos de negativo são 4,5 x 6 cm, 6×6 cm, 6x9cm e em alguns casos 6×12 cm e em cada formato rende um número diferente de fotos, respectivamente 16, 12, 8, e 6 fotos.

Uma variação do 120 é o 220, sendo que sua maior diferença está na falta do papel de proteção que é enrolado com o filme, permitindo um filme mais longo, exatamente com o dobro do comprimento do 120, oferecendo o dobro de fotos que o 120 oferece. Um exemplo de câmera que pode usar 220 é a Yashica MAT.

Mas só câmeras sem o furo para leitura do número da exposição podem usar esse filme, e seu manejo é bem mais complicado, já que o filme está sem nenhuma proteção a luz. Ele tem papel no começo e no final, permitindo o carregamento como o 120, mas sem o papel protetor aquela janelinha vermelha de trás de algumas câmeras 120 pode queimar o filme.

Mas qual é a do formato?

Simples, negativo maior, resolução maior, qualidade maior! Claro, a qualidade da imagem depende da combinação de filme, câmera, lente, revelação e, principalmente, fotógrafo. Mas deu pra entender porque muita gente só usa o médio formato.

É claro que é um formato mais complicado de achar para comprar e revelar. Se o 35mm já está raro em cidades menores, imagine o 120! Mas ainda encontra online, importado, em lojas especializadas e nas capitais e cidades maiores. A internet está aí pra facilitar a nossa vida, ainda tem muitos lugares com filmes disponíveis. Só não é barato.

Mas vale muito a pena!

Leia mais:

Artigo anteriorRevista Foto Inversa - Fotografia Pinhole - 5ª Edição Próximo artigoImprimindo (mais um) belo pôster de história de câmeras

Assinar Blog por Email

Digite seu endereço de email para assinar este blog e receber a newsletter com notificações de novas publicações por email.

O que você acha?

Nome obrigatório

Website