Experiências fotográficas em filme e outras analogias...

A famosa câmera Lomo LC-A, que deu origem ao fenômeno da Lomografia, tem em seu arsenal de armas de sedução diversos elementos que atraem curiosos e entusiastas da fotografia analógica desde o seu aparecimento no ocidente pelas mãos dos malucos que criaram a Sociedade Lomográfica.

Um dos mais interessantes é aua capacidade de exposição automática somada às características de sua lente Minitar que rende imagens muito legais e com saturação bacana. Mas seu segredo não é uma fórmula mágica da lente e sim Matemática: ela superexpõe o filme ligeiramente e sabemos que ao escurecer uma imagem superexposta é gerado um ganho na saturação na hora que você corrige.

Teste no photoshop: usando a ferramenta de curvas, quando você escurece a imagem as cores ficam mais saturadas.

Como isso ocorre? Antigamente, na era pré Sociedade Lomográfica, as LC-A usavam uma numeração baseada na escala GOST, semelhante em valor com a ISO (aproximadamente parecidos no início, mas depois de 1987 os dois se tornaram equivalentes), mas os filmes eram com sensibilidades diferentes do padrão atual, por exemplo, ao invés do filme ter a sequência ISO 25, 50, 100, 200 e 400 tinham 16, 32, 65, 130 e 250, por exemplo. Pra ter uma ideia, o ISO 100 ficaria entre os GOST 65 e 130. Como na máquina não tem o 100, a marcação mais próxima é a 65, que superexpõe o filme e na hora de ampliar a compensação escurece a imagem, ganhando saturação. Assim as novas LC-A só trocaram a etiqueta, mas quando voçê escolhe ISO 100, verdade esta fotografando com GOST 65. Simples, né? Mais ou menos ;).

E daí? Daí que você pode brincar de superexpor o filme com qualquer câmera que regule o ISO e experimentar esse ganho de saturação!

Experimente! 

Leia mais:

Artigo anteriorComo você mostra sua coleção de câmeras analógicas? Próximo artigoRevista Foto Inversa, a arte da fotografia pinhole

Assinar Blog por Email

Digite seu endereço de email para assinar este blog e receber a newsletter com notificações de novas publicações por email.

2 comentários

  1. Olá Julio.
    Vc quer dizer: Colocando um Iso 100 eu marco na minha maquina Iso 50? Tipo uma puxada ao contrario?

    Mas qdo revelar, deixa revelar o negativo com Iso original (100)?

    É isso?

  2. André, é mais ou menos isso. Se você colocar um filme iso100 e marcar na máquina iso50 vc vai superexpor o filme, mas revele normalmente no lab. Só na hora de fazer a ampliação eles vão precisam dar uma compensada na densidade, o que um amigo meu chamava “achar o preto”…

    É mais ou menos, por que além dessa diferença de números, tem uma diferença de “0,-alguma-coisa” entre as escalas, mas isso já serve pra ponto de partida em experimentações!

O que você acha?

Nome obrigatório

Website