Experiências fotográficas em filme e outras analogias...

O dourado não é a característica mais marcante da Lente Petzlar, a nova velha lente que não é uma invenção nada moderna. Na verdade é uma lente do século 19 criada pelo matemático e gambiarreiro (por que não?) Joseph Petzval. Sua principal característica é a pouca profundidade de campo, seu bokeh, e uma parada doida de foco no centro da imagem e desfoque nas bordas. Mas e aí, o que tem de tão bacana nisso?

Bem, a Sociedade Lomográfica tem investido muito tempo e dinheiro, agora com ajuda da galera no kickstarter, para desenvolver coisas que alimentem esse mercado que está a beira da morte há anos. Todo dia sai uma notícia de alguém que parou de fabricar filmes, câmeras, equipamentos de laboratório, químicos e etc, criando essa ideia permanente de que tudo pode acabar a qualquer momento. E a galera sempre corre para criticar e por defeito nas ações da Sociedade. Temos que olhar por cima das picuinhas e do mimimi em torno dela e avaliar o resultado do seu esforço para manter viva a nossa querida fotografia analógica. Nada nada eles tem grande responsabilidade pelo revival da fotografia analógica. E não estou falando de hoje, é só olhar pra trás e ver que desde os anos 90 os caras estão batalhando por um mundo mais analógico, mesmo errando e acertando.

História

Josef Maximilian Petzval foi um maluco matemático, físico e inventor húngaro que é considerado o fundador da geometria ótica, com conceitos que são usados até os dias de hoje. Em 1840 ele criou a sua mais famosa lente, que gerou muita briga com Voigtländer que produzia lentes a partir de seus projetos. Ainda hoje seus projetos rendem, diversas lentes de projetor são baseadas na famosa Lente Petzval e agora a Sociedade Lomográfica está reeditando a mesma.

Funcionamento

A lente original foi criada para ser usada em câmeras de grande formato, precisou de um belo trampo calculando em parceria com os russos da Zenit para chegar no mesmo efeito mas para câmeras 135, beeeeem menor né.

Ansco 5x7

E eles fizeram essa nova Petzval compatível com as modernas nikon e canon, apesar de com isso já garantir que muita gente vai usar, senti falta de uma versão para m42 (o padrão das antigas pentax e zenit) pelo menos. Mas vai saber o que eles estão pensando. E quem sabe não vai ter no futuro, mas mesmo assim achei sacanagem!

O foco é feito girando uma rodinha embaixo da lente, como nas câmeras com belows antigonas e as aberturas são trocadas usando lâminas inseridas no meio da lente. As aberturas disponíveis são f/2.2, f/4, f/5.6, f/8, f/11 e f/16.

Eles aumentaram praticamente um f/stop em relação a lente original, que era f/3.5, aumentando a luminosidade da lente e seu bokeh. Isso ajuda a evidenciar ainda mais a personalidade da lente. E deixa ela bem bacana pra fazer retratos, mais ainda do que a original.

Efeitos

O efeito túnel: o centro da imagem fica em foto, e vai suavemente perdendo esse foco conforme seguimos para as bordas da imagem, tudo por culpa do design ótico da lente que consegue focar no centro da lente o seu objeto a ser fotografado.

O bokeh: é outro efeito desejável, um pouco torcido (principalmente nas bordas), ficando bastante interessante.


Um belo exemplo em vídeo do bokeh bacana da Petzval.

Um charme para quem curte coisas com profundidade de campo rasinha, rasinha e vinheta com desfoque. É uma boa lente para retratos, mas para street photography é meio espalhafatosa. Certeza que vão fazer uma versão preta para quem quer mais, hum, discrição, mas com certeza vai ter um preço não tão discreto em relação a versão dourada.


Petzval Design


Design Padrão

Especificações

  • Comprimento focal: 85mm
  • Abertura Máxima: f/2.2
  • Aberturas: do tipo Waterhouse, até f/16
  • Image Circle: 44mm
  • Campo de visão: 30 graus
  • Padrão de : Canon EF e Nikon F
  • Contatos Eletrônicos: Não
  • Foco mais próximo: 1m
  • Mecanismo de foco: Gear Rack Focusing
  • Construção da Lente: 4 Elementos em 3 Grupos
  • Rosca para filtro: 67mm
  • Tamanhos: 120mm x 85mm x 80mm
  • Peso: 500g

Kickstarter

A Socidade Lomográfica pegou gosto pelo kickstarter e desde que resolveu coletar fundos nele para o lançamento do seu Smartphone Scanner ela virou freguês do serviço. O que muitos falam que é uma safadeza eu encaro como uma ideia ótima, ao usar o kickstarter eles conseguem viabilizar o lançamento de novos produtos com o menor risco possível! Todo mundo ganha, mas principalmente o mercado de produtos e serviços para fotografia analógica que tem sempre algo novo (ou requentado, rsrs) para agitar e manter viva a brincadeira.

Lomography

Criada em 1992, depois da histórica viagem onde dois estudantes de arte de Viena conheceram a Lomo Lc-a no leste europeu, é um misto de site, loja virtual, conceito de marketing e comunidade global. É principalmente como comunidade de pessoas em torno de uma idéia de fotografia mais desencanada e com forte apelo na troca de experiência e compartilhamento de imagens e técnicas analógicas de fotografia que a LSI tem o seu maior mérito. (Saiba mais aqui)

Mais imagens

Links

Tem muito mais informações para pesquisar sobre o assunto se você quiser saber mais como as coisas eram inventadas no passado ou como lentes são construídas. Saber essas coisas é ótimo para quem quer se aventurar no maravilhoso mundo da construção de lentes. Eu já estou fazendo as minhas, toscas e divertidas como devem ser. E você?

Leia mais:

Artigo anteriorFilme de rolo: faça seus rolinhos de filme em casa Próximo artigoBateria da Lomo LC-A, como aproveitar melhor

Assinar Blog por Email

Digite seu endereço de email para assinar este blog e receber a newsletter com notificações de novas publicações por email.

O que você acha?

Nome obrigatório

Website