Experiências fotográficas em filme e outras analogias...

A ur-Leica, a primeira leica

A primeira Leica, protótipo criado por Oskar Barnack em uma pesquisa para criar uma câmera compacta para que cineastas testassem a exposição de filmes. No fim virou uma nova maneira de fotografar, usando um filme bem menor mas com qualidade suficiente para ampliações maiores que o pequeno formato 36×24 mm do negativo que essa nova câmera produzia.

História da primeira Leica

Oskar Barnack e sua Bancada cheia de peças de Leica
Oskar Barnack no seu playground, rodeado de Leicas.
Antes de começarem a usar filmes de cinema de 35mm em câmeras fotográficas o mercado tinha disponível o filme 120, ou os filmes em chapa de grande formato, muito maiores e com mais informações. Só que o seu tamanho cobra seu preço e as câmeras não poderiam ser lá muito compactas, principalmente as de grande formato (por motivos óbvios).

Oskar Barnack trabalhava com microscópios na Ernst Leitz Optische Werke, em Wetzlar. E em seu tempo livre fuçava e experimentava projetos de câmeras compactas. Li em algum lugar que o objetivo desse protótipo era ser uma câmera compacta para que os cineastas testarem exposições com filmes para cinema, mas a ideia de usar essa mesma câmera para fotografia ao invés das grandes, pesadas e desengonçadas câmeras de médio e grande formato estava-o seduzindo, pois ele mesmo filmava e fotografava muito em aventuras pelas montanhas e nada mais complicado do que levar uma câmera de grande formato, pesada, com tripé e tudo para trilhas. Seria muito melhor levar uma pequena câmera, com filme menor e que coubesse no bolso. Literalmente.

Dá pra emular o formato do cinema nas câmeras de meio quadro, como a Olympus Pen e Canon Demi. Use na vertical e terá imagens horizontais como se fosse de cinema!

Para aproveitar ainda mais o negativo teve a ideia de usar o filme na horizontal, dobrando o tamanho do fotograma usado no cinema, ficando com o clássico formato 36x24cm. Apesar de bem menores que os 6×6 ou até 9×6 cm dos filmes de médio formato, a futura câmera renderia imagens de qualidade que poderiam ser ampliadas com um projetor, não apenas copiadas por contato, criando também o nosso conhecido processo de ampliação de negativos no momento da cópia em papel. Isso graças ao advento de lentes mais complexas e feitas especialmente para esse novo formato de câmera.

Assim Oskar criou a Ur-Leica, Ur de ursprünglich (orginal) eu acho. E o nome Leica originou-se das Iniciais de Leitz Camera.

A primeira foto com a primeira leica
A primeira foto de Oskar com o protótipo Ur-Leica. É o Eisenmarkt em Wetzlar.
Em 1913 construiu esse protótipo com lentes de microscópio e logo estavam com outros protótipos sendo colocados nas mãos de fotógrafos para testar esse novo jeito de fotografar. Mas só foi em 1925 que o protótipo da primeira Leica se tornou a Leica I, uma versão aprimorada e refinada da original, usando uma lente 50mm f/3.5 criada por Max Berek. Oskar testou uma Zeiss Tessar que, apesar de ser uma ótima lente, era feita para cinema e não cobria o filme completamente nesse novo formato 36×24 cm. Ainda bem, imagine a Leica fazendo como a Canon que lançou sua primeira câmera comercial com lentes da Nikon!

Leica I, com lente Leitz Anastigmat 50 mm f/3.5 fixa
Leica I, com lente Leitz Anastigmat 50 mm f/3.5 fixa
Além de ser a primeira câmera de filme 35mm, ela também foi a primeira a avançar o filme e no mesmo mecanismo armar o obturador para uma nova fotografia e prevenir a dupla exposição, algo que parece comum mas câmeras de hoje, na época rebateu as câmeras de filme 120 maiores que podiam avançar o filme independente de armar o obturador.

Quanto custa uma brincadeira dessa

Esse protótipo que ficou guardado em um cofre em banco discreto na Alemanha, foi avaliado em US$ 4 milhões. E isso em 2010! E por ela ficar guardada em um cofre, não é fácil colocar as mãos nela. Para o resto de nós, meros mortais, fica a possibilidade de um dia por a mão em uma reprodução (relativamente) barata já que a original é tão protegida pelo seu valor.

Mas não é só dinheiro, e sim o que ela significa e sua importância no mundo, a primeira Leica se tornou um marco na história da empresa que entraria para a história como a maior marca de câmeras fotográficas do mundo.

Links

Enfim, todas as câmeras 135 de hoje devem a esse cara e a sua câmerinha tosca preta lascada com lente de microscópio com 100 anos de idade. Sim, centenário em 2013!

Leia mais:

Artigo anteriorFilm Episódio 14: "Continuous Light" Próximo artigoFilm Episódio 15: "Old Penitentiary"

Assinar Blog por Email

Digite seu endereço de email para assinar este blog e receber a newsletter com notificações de novas publicações por email.

O que você acha?

Nome obrigatório

Website