Experiências fotográficas em filme e outras analogias...

Entrevista 12 Poses ToyCamera Blog: Julio França - DXFofo

Leia uma entrevista para o blog do saudoso site www.toycamera.com.br que não está mais online já há algum tempo, feita em 2012.

Entrevista publicada no saudoso toycamera.com.br

  1. Faz o quê da vida?
    Marido, papai, publicitário e fotografo com filmes quando dá. E de vez em quando uso minhas “habilidades” fotográficas no trabalho. Mas só de vez em quando.
  2. Que tipo de toycameras/câmera analógicas você usa?
    Bem, isso é dificil de definir. Basicamente todas, exceto as instantâneas e de grande formato. Tenho compactas 135, SLRs, descartáveis, depois tenho várias 120 plasticas e TLRs, enfim: bastante coisa. Como coleciono câmeras e quase todas estão funcionando acabo fotografando um pouco com cada uma. Isso significa muitos filmes diferentes esperando pra revelar!
  3. Porquê você gosta de fotografar com filme?
    Acho que é por ser algo natural para mim. Meu pai fotografava e revelava, isso sempre esteve presente em casa. Por isso comecei a fotografar com filme e vi o surgimento da fotografia digital, que era algo caro e com qualidade inferior ao filme. E hoje a fotografia digital ainda ela não tem a mesma magia, a luz transformando elementos químicos que viram imagens. Não tem como não gostar de filme! E o cheiro? Ahh…
  4. Qual sua memória mais antiga com fotografia analógica?
    Uma câmera box 120 quebrada, a Arrow Jr. Era meu brinquedo desde sempre, ficava junto dos carrinhos e eu usava como se fosse uma filmadora de cinema! Durante anos nas minhas mãos até que no fim dos anos 90 consertei seu obturador com um pedaço de corda de guitarra e cliquei um Kodak Tri X Pan com ela. Ela funciona até hoje. É um dos xodós da minha coleção.
  5. O que você mais gosta de fotografar?
    Gosto muito de fotografar o dia-a-dia, o que vejo. Gosto de tentar achar alguma coisa diferente nas coisas comuns que esbarro todo dia.
  6. Qual seu tipo de filme favorito?
    Sempre o mais fácil de revelar, então é negativo 135. Minha região tem muita dificuldade de revelar 120 e fazer xpro, então negativo colorido é a minha escolha, e o Kodak Proimage é o filme que mais uso. Ele vai bem batido normal, se puxar 3 pontos fica legal, aceita bem experimentos e os roinhos vazios ficam otimos para padronizar rolos rebobinados por serem amarelinhos com letras pretas e só. É ótimo.
  7. Tem algum projeto ou trabalho em andamento?
    Tenho vários!

    • O principal é o blog, um apanhado geral das bagunças que eu faço com fotografia analógica. Ele aglutina todos os subprojetos de faça-você-mesmo que arrumo pra minha cabeça: pinholes, modificações em câmeras, etc.
    • Depois tenho um projeto de fotografar cadeiras vazias inspirado por um grupo no flickr.
    • Tem o lomotrade, que é a troca de fotos e presentes com os amigos pelo correio.
    • O LomoInLomo, que deu uma esfriada, que é fotografar uma foto dentro da outra, uma maluquice que vimos com Polaroid e resolvemos agitar com lomografia.

    Acho que são esses. Que eu me lembro. Acho que uma das minhas piores manias é inventar projetos!

  8. Quais são seus fotógrafos favoritos?
    Bresson, Capa, Doisneau, Vivian Maier e meu pai :).
  9. Onde você busca inspiração?
    Livros, documentários, programas de tv e principalmente na internet. Pinterest é o lugar com fotografias mais interessantes, seguido do flickr (é, ainda sim tem muita gente boa lá que usa filme ao invés de photoshop/lightroom) e agora estou ensaiando uns passinhos no 500px. E a vida que segue rolando a nossa volta.
  10. Tem alguma técnica favorita?
    Eu realmente sou fã de usar grandes aberturas, 2.8 na compacta Lomo Lc-A e 1.4 na SLR. Gosto demais da profundidade de campo estreitinha, o desfoque e acho o máximo o conceito de círculos de confusão! Acho até que qualquer cena banal e besta pode ficar linda fotografadas com aberturas assim. Engraçado isso até.
    Mas sempre me pego fotografando sem olhar o visor, o que a Sociedade Lomográfica chama de shot from the hip. Com isso eu posso colocar a câmera em lugares que eu não consigo ir pra olhar no visor e também essa técnica ajudar você a enxergar a foto com sua cabeça, não seus olhos. Então são duas técnicas. Podia ficar citando várias aqui…
  11. Se você pudesse escolher um lugar ou alguém para fotografar, qual seria sua escolha?
    Gostaria de fotografar Chernobyl, vi um trabalho incrível de uma fotógrafa que se arriscou tomando radiação na cara pra fotografar a região. Tenho uma queda por imagens de lugares abandonados! Meio assustador, mas tenho uma curiosidade absurda por esses lugares, acho que por não ter muito disso no interior de São Paulo, aqui nada fica muito tempo abandonado, logo vira um estacionamento ou um prédio…
  12. Que importância a fotografia tem na sua vida?
    É parte da minha memória. Uma forma de relatar o que vejo e sinto e compartilhar com quem importa.
  13. Um recado para nossos leitores.
    :-) Usem filtro solar. Brincadeira! Usem filtros polarizadores e também outros acessórios, experimentem! Deixar o computador de lado e testar todas as técnicas tradicionais e achar as que mais lhe agradam. Não tenham medo de gastar filme. Só não desperdicem um bom filme. Algo assim…

Link

  • Infelizmente o site toycamera.com.br foi descontinuado há algum tempo.

Leia mais:

Artigo anterior“Girls in the Windows”: a história por trás dessa foto icônica de Nova IorquePróximo artigoRoyal Photographic Society torna 165 anos do Royal Photographic online e gratuito

Assinar Blog por Email

Digite seu endereço de email para assinar este blog e receber a newsletter com notificações de novas publicações por email.

Junte-se a 1.579 outros assinantes

O que você acha?

Nome obrigatório

Website