Experiências fotográficas em filme e outras analogias...

100, um tributo a fotografia da Leica - Leica Store Brasil

Não é para qualquer um fazer 100 anos, nem mudar a forma como as pessoas fazem as coisas. A Leica pode se gabar das duas coisas. Há 100 anos atrás a invenção de Oskar Barnack mudou a forma como fazemos fotografia, deixando a câmera mais compacta e móvel, indo para onde as coisas aconteciam, na rua, libertando a câmera das amarras do estúdio, do médio formato e dos tripés e permitindo chegar mais perto da ação, mais íntimo do momento. Tudo isso é muito bonito, né?

Se quiser saber mais sobre a primeira Leica e Oskar Barnack tem um artigo aqui.

Não que a Leica inventou a fotografia. Mas ela deu um impulso gigante e como você vai ver a fotografia como fazemos hoje é muito influenciada pela câmera, pela marca, pela fábrica, pelo que os grandes fotógrafos fizeram com uma Leica nas mãos. Até a Canon é a Canon porque fez uma cópia da Leica no Japão. Não é a toa que a marca é o que é hoje, lendária. Isso pra dizer o mínimo.

Falar da fotografia da Leica então é falar da fotografia moderna, da fotografia de rua, da fotografia de guerra, do fotojornalismo, da Magnum, do Bresson, e tudo que está aí.

Então, veja o filme 100 (um tributo à fotografia da Leica) que, pra variar, é extremamente emocionante.

Assista 100, um tributo à fotografia da Leica

Referência

E para quem não pegou a referência da foto lá de cima (do menino que aparece no filme) é do Mano Bressão! Uma das muitas…

Henri Cartier-Bresson, Mitou

Eu ainda prefiro aquela do cara andando no ar (ou sobre a poça, depende do que você acredita)

cartier-bresson

Links pra saber mais

Leia mais:

Artigo anteriorMaior câmera de filme do mundo rodando por aí Próximo artigoNo #instagram, Magnum Photos aí vou eu!

Assinar Blog por Email

Digite seu endereço de email para assinar este blog e receber a newsletter com notificações de novas publicações por email.

O que você acha?

Nome obrigatório

Website