Experiências fotográficas em filme e outras analogias...

ProimageNoSol: Good

Minha primeira participação no saudoso blog Queimando Filme, do amigo André Correa (@raissuli) foi para apresentar uma gambiarrinha com filmes que pode ser uma boa para quem quer experimentar algo novo sem necessariamente gastar mais! Se você gosta de experimentações e de fotografia analógica, vale a visita no Queimando!

Spoiler: dois rolos de negativo fotografados normalmente que antes de revelar foram deixados cozinhando lentamente por semanas no parasol de um Escort XR3 89 que tinha na época!

Filmes sob o calor do sol

Um dia pensei: “será que aquecer o filme pode alterar suas propriedades?” Para testar essa hipótese maluca resolvi clicar dois rolos de Kodak Proimage 100 com a minha Lomo LC-A fabricada em 1985 e deixar “cozinhando” lentamente no parasol do meu carro, que sempre ficava sob o sol no horário de trabalho.

Sabe, aquela aba que a gente abaixa pra proteger do sol ou para sua namorada retocar o batom? Então.

Escolhi o Kodak Proimage 100 por N motivos: de longe é o meu filme predileto, já tinha várias fotos com ele e poderia comparar os resultados e, principalmente, era o filme que estava sobrando na geladeira. Para quem não conhece, o Kodak Proimage é um filme negativo da linha profissional, bastante equilibrado e balanceado para tons de pele. É um filme que você dificilmente vai ter alguma alteração de cor. Exceto se o colocar no parasol do seu carro!

Como fazer

É bem simples: Usei o parasol pois o interior do carro se enche de calor (e raios infravermelhos, eu acho…) mas sem correr o risco de derreter os filmes deixando direto no sol ou aquecendo no forno ou fogão. A película é muito sensível ao calor e não podia correr esse risco de derreter meus os filmes!

Assim, depois de mais um mês e alguns dias no parasol (realmente não lembro exatamente) mandei revelar os dois filmes e fazer ampliações 12×9 sem correção de cor e pronto! Cores mais frias quando sob sol e cores mais estranhas quando sob luz de tungstênio, praticamente um Xpro só com negativo e C-41!

ProimageNoSol: Year

Infelizmente esse estabelecimento já fechou, em São José dos Campos

ProimageNoSol: Jogos Mortais I

O banheiro era branco e com luz de tungstênio comum

ProimageNoSol: Jogos Mortais II

Mais um belo registro

ProimageNoSol: Sinal

Imagens clicadas no Sol aberto ficavam meio verdes e bem frias

Achei que no final das contas que deu uma cara de chromo em processo cruzado, mas não passa de um proimage 100 safado revelado normalmente em C41. O lance é pedir pra não tratar/corrigir as cores. Não custa nada mais.

Links

Leia mais:

Artigo anteriorFood and Films, ou o que tem na sua geladeiraPróximo artigoChanel, Audrey Tautou e uma Leica

Assinar Blog por Email

Digite seu endereço de email para assinar este blog e receber a newsletter com notificações de novas publicações por email.

Junte-se a 1.579 outros assinantes

2 comentários

  1. Dona diz:

    que cores! adoro essas ideias, embora nunca tenha feito nenhuma experiência ;p
    me diz, depois de usar todo o filme, vc o deixou dentro do pote tomando o sol, ou tirou ele do pote, ficando apenas o filme?

  2. Dona, fotografei o filme normalmente, rebobinei e deixei o rolinho fora do pote, encaixado no parasol do carro pelo lado de dentro, sabe. Baixa o parasol, coloca o rolo, sobe o parasol e esquece lá. O calor do interior do carro estacionado o dia inteiro no trabalho fez a mágica.

O que você acha?

Nome obrigatório

Website