Experiências fotográficas em filme e outras analogias...

Todo mundo por aí dizendo que o filme morreu, a Kodak largou o mercado de filmes também, mas tem muita gente interessada em continuar essa brincadeira química quase mágica.

Enquanto algumas grandes marcas estejam se tornando invariavelmente digitais, algumas ainda fabricam seus tanques de metal e vendem pelo preço de obras de arte. E ainda algumas poucas fazem câmeretas de baixo custo, como alguns chineses. O importante é saber que se você é exigente existe por aí alguma marca de câmera que fabrica e vende analógicas novas.

Olha só quem ainda tem câmera de filme zero kilômetro:

Vivitar

Com sua Vivitar V3800-50, que convenhamos é uma câmera de entrada mesmo, os caras fincam seu pezinho no maravilhoso mundo da fotografia analógica, oferecendo uma opção de baixo custo e qualidade aceitável para quem quer brincar de fotografia com aquela cara profissional (opções de lentes, efeitos de desfoque e bokeh) sem gastar os tubos em uma câmera mais parruda.

Vivitar

Uma grande vantagem (e esperteza da Vivitar) foi usar o padrão de baioneta K da Pentax, liberando o uso de lentes não só da própria Pentax, com algumas fabricadas pela Vivitar mesmo, entre outras. Dá pra pegar aquelas lentes que estão mofando na loja de fotografia da sua cidade e usar no corpo zero bala dessa câmera, já que o o que dá a diferença mesmo nas imagens com SLRs é a lente!

Saiba Mais:

Zenit

A boa e velha Zenitona que todos conhecemos ainda é fabricada, usando como padrão a baioneta k da pentax e agora cheia de frescuras como avanço e rebobinamento automático. Mas a Zenit não faz só a SLR 35 mais tosca que conheço, mas também as câmeras Kiev com uma SLR, várias médio formato e a pequena Kiev 35a, cópia da Minox 35.
A Zenit também é a fabricante das duas panorâmicas Horizon.

Saiba Mais:

Fuji

A Fuji tem mantido suas descartáveis e a linha Instax, sua instantânea. Uns anos atrás noticiou o lançamento de uma nova câmera para filme 120 que não sei se ainda é fabricada e nem consta no site da Fuji mas dá pra comprar nova.

Saiba Mais:

Rollei

As Rolleiflex FX, FW e FT (TLRs), a Hy6 (uma reflex híbrida digital/filme) e a saudosa Rollei 35 são as câmeras de filme que ainda são produzidas sob o nome Rollei/Rolleiflex. São câmeras que carregam todos os anos de experiência de fabricação da Rollei com componentes zero bala. Custam os olhos da cara de um príncipe albino do norte da europa, mas são bacanudas. São pra quem tem bala na agulha (assim com as leica).

Saiba Mais:

Leica

A linha M da Leica é clássica por si só. Uma linhagem de câmeras que, nas mãos de gênios, tornaram-se lendárias. A M7 é a última da família que ainda usa filme, a partir da M8 ela trai o movimento e passa a ser digital (brincadeira).
É o sonho de consumo de muitos. E conheço alguns poucos que tem (M7, mas vale também M6, M4, M3, etc).

Saiba Mais:

Nikon

A F6 é a photo-motherfucker-professional da Nikon que ainda é de filme mas tem recursos e preço de uma DSLR de alto padrão. A Nikon tem também uma bem mais básica, a FM10, que custa quase 10% do preço da F6, com qualidade proporcional (ah vá, não deve ser tão espartana assim, deve ser melhor que uma Zenit).

Nikon FM10 Nikon F6

Saiba Mais:

Sociedade Lomográfica

Sprocket Rocket

Claro, com sua vasta linha de toycameras, câmeras originalmente russas e reedições ela vem trazendo de volta o gosto de fotografar com filme desde os anos 90. A desvantagem é que suas câmeras estão valorizadas e acabam saindo mais caras, principalmente para nós brasileiros que temos que pagar imposto até sobre o imposto. Mas são brinquedos incríveis e eu mesmo fui seduzido diversas vezes por suas opções!
Recomendo totalmente as Diana+ (holga se quiser ser mais roots) ou suas opções criativas como a sprocket rocket, a Belair ou supersampler.
É realmente incrível, eles têm câmeras para todos os gostos e bolsos.

Impossible Project

Os caras do Impossible Project trouxeram de volta os maravilhosos filmes instantâneos da polaroid depois que ela traiu o movimento e virou completamente digital. Agora, depois conseguirem tal feito e estabilizarem a nova fórmula de filme instantâneo eles começaram a desenvolver projetos de câmeras próprias. O primeiro passo deles foi criar uma unidade básica de processamento de filmes (FPU em inglês). Com isso poderão criar câmeras que se utilizam dessa base, oferecendo para terceiros, inclusive, a possibilidade de usar o negócio em seus próprios projetos. To sonhando com um kit pra adaptar esse maluco na Holga, ou outra câmera 6×6!

Saiba Mais:

Então, se a desculpa pra fotografar com filme é a falta de câmeras novas no mercado, a desculpa acabou.
Se souber de mais alguém fabricando câmeras de filme novas, comente!

Vida longa ao filme!

Se tiver alguma sugestão de fabricante, comente que atualizo aqui (as de grande formato ficam pra outro artigo).

Leia mais:

Artigo anteriorCaçando câmeras no History Channel com Mark Powell Próximo artigoPra fotografar: #Local: arquitetura antiga na R. Eng. Fernando de Mattos, Taubaté.

Assinar Blog por Email

Digite seu endereço de email para assinar este blog e receber a newsletter com notificações de novas publicações por email.

2 comentários

  1. Seria bom se tivesse fotos que, mostrasse qualidade das fotografias de cada uma câmera, ótimo post! :)

  2. GERALDO diz:

    ACHO QUE NA MAIORIA DAS VEZ NÃO TÁ NA CAMERA A QUALIDADE DA FOTOGRAFIA , MAS SE LEVAR PARA REVELAR EM UM BOM LABORATORIO FOTOGRAFICO, AS FOTOS TERA SEMPRE UMA BOA QUALIDADE, O QUE ENTERESSA NEM SEMPRE É A CAMERA , BASTA USAR QUALQUER MAQUINA ANALOGICA QUE FUNCIONE COM FILME 135ML, E O RESTO É COM O LABORATORIO FOTOGRAFICO, SEMPRE POR TRAZ DE UM BOM LABORATORIO TEM UM BOM FOTOGRAFO QUE ENTENDE EM CORES E EM FOTOGRAFAR.
    DICA REVELE SUAS FOTOS COM FILMES OU DIGITAL SEMPRE EM LOJAS FOTOGRAFICAS. HOJE EM DIA TEM MUITO PICARETA NO MERCADO FOTOGRAFICO, VENDENDO XEROX COLORIDO EM PAPEL BRILHO E DIZENDO QUE É FOTO . FOTO ´SO EM LOJA FOTOGRAFICA….

O que você acha?

Nome obrigatório

Website